VONTADE DE DESISTIR DE TUDO?

Deu desânimo? Deu vontade louca de desistir de tudo?

Calma! Isso é mais comum do que parece! Tome isso como parte do processo de progressão e saiba usar o momento a seu favor.

O sentimento de desânimo, de abandonar o navio no meio do trajeto  pode vir como resultado de um longo período de esforço em que hábitos novos estão sendo estabelecidos e os antigos estão sendo abandonados; pode vir de uma delonga nos resultados almejados; pode vir, igualmente, de dificuldades que aparecem sem esperarmos ou de outras cuja ação achamos poder enfrentar e elas se mostraram mais difíceis. Vários podem ser os motivos.

A ideia principal é que a mente se cansa desse esforço diário porque ainda não está acostumada, não está automatizada para aquela rotina ou, simplesmente, o gás acabou e precisa ser recarregado. De uma forma ou de outra, é o cansaço batendo à porta.

O importante, antes de tudo, é aceitar que esses momentos virão e lidar com eles com sentimento de tranquilidade e, nem por isso, com menos atenção. Pense sobre isso.

Beleza! Sentimento aceito! E agora? O que faço com essa batata quente, com essa vontade de ficar na cama e passar bem longe de qualquer resquício de palavra escrita e estudos sistematizados???!!!

Não importa o motivo, o desânimo está aí, não é? Vamos ao que importa: segue um passo a passo rápido e eficiente:

1 – Pare tudo. Feche livros, se estiver à frente deles. Deite, sente e respire ( se já não estiver deitado).

2 – Faça algumas respirações lentas e profundas. Isso irá equilibrar sua energia psíquica.

3 – Repasse seus objetivos. Relembre por que você está debaixo desse cronograma apertado, louco, subvertido. Se precisar, escreva, fale em voz alta, rabisque em um quadro ou grave!

4 – Considere se esses objetivos ainda fazem sentido para você, se valem a empreitada. Se sim, vamos mantê-los ou, no máximo, reorientá-los. Se não, hora de refazer a rota com algo razoável, acessível e que possa ser adotado com equilíbrio.

5 – Refeito? Mantido? Sigamos!

6 – Por hoje, fechamos o boteco. Você vai voluntariamente e conscientemente se entregar ao que tem vontade nesse momento. Faça com classe e elegância. Não enlouqueça com a ideia de que vai perder o dia! Será um dia ganho em vontade e renovação. Se isso faz parte do processo, não tem por que espernear.

7 – Faça o que quer fazer com prazer e livre de qualquer culpa. Se dedique a esse prazer como se fosse o último da sua vida. Aproveite cada minuto. Pode ser a cama quente, uma saída com os amigos, aquela feijoada da mama, o filme que você economizou por muito tempo…não importa, você é dono do seu prazer. Liberte sua mente da culpa; não pense em amanhã. O presente é que importa. Dê-se esse “presente”. É seu e ninguém pode tirar de você!

8 – Feliz, agora? Tranquilo? Fechou o dia ou o momento; isso quem irá medir é você, mas procure limitar isso a um dia. Lembre-se que o equilíbrio deve perpassar todas suas metas.

9 – Pegue seu planejamento e vamos seguir!


Muitas pessoas passam por situações como essas e por culpa e por se sentirem fracassadas, afundam de tal forma que não conseguem sair.

Faça diferente: use o momento ou o dia como um spa para sua mente, uma oportunidade de refletir sobre sua rotina e volte com energia e ânimos renovados.

Forte abraço!