SÍNDROME DO COADJUVANTE

Você é daqueles que acha que sempre tem alguém melhor que você e que não vale o esforço da empreitada para reverter isso?

Você é daqueles que, por mais que estude, nunca sente que terá a chance de uma vaga porque sempre haverá pessoas muito melhores que você?

Esse estado tem nome e vamos orientar você a não assumir essa postura. Saiba que você sofre da Síndrome do Coadjuvante!

A Síndrome do Coadjuvante carateriza-se por um estado constante de baixa autoavaliação em que a pessoa ou desiste antes de realizar qualquer planejamento ou realiza desconfiando o tempo todo que irá fracassar por viver à sombra de outros.

Sabe aquela pessoa negativa que senta ao seu lado e traz lamúrias do primeiro ao último minuto que você está com ela?! Sabe aquele ser que responde prontamente e em detalhes mórbidos e negativos um simples e protocolar “tudo bem?” ?

Saiba que isso PODE SIM ser remediado com atos simples e pequenas reflexões!

Deixamos algumas dicas de como você evitar esse mal que pode ser a pedra no sapato do grande concurseiro:

AUTOCONFIANÇA


Muita gente pensa que autoconfiança nasce em você. Isso é um grande equívoco. A autoconfiança nasce a partir das realizações que conquistamos de acordo com o grau de expectativa que fazemos. É preciso ajustar esses dois parâmetros. Crie expectativas razoáveis para suas possibilidades reais, trace metas e coloque as mãos na prática. Se a empreitada é muito grande, trace metas parciais. Registre seu progresso para você sentir que está caminhando. Com essas realizações, você sentirá que sua autoconfiança irá melhorar muito. Sentirá sua capacidade se concretizando em atos e poderá usufruir de seus efeitos.

CONTEXTUALIZE


Sempre que for avaliar uma situação, considere também as circunstâncias em que ela ocorre. Isso irá fazer você perceber com mais precisão os resultados. Por exemplo, se teve um mal desempenho em uma avaliação, pense se realmente se preparou adequadamente, se está bem fisicamente, se não estava com algum pensamento paralelo. Não fique fixada apenas ao resultado. A reflexão meticulosa ajudará você a perceber o que está interferindo entre você e o resultado que deseja.

REFLITA SOBRE SUAS VITÓRIAS


É muito importante que periodicamente você levante mentalmente suas conquistas. Pense em como as realizou, o que fez de bom que gerou resultados positivos, o que fez de ruim que dificultou você de chegar ao final. Com isso, você poderá perceber tudo que já fez, o que poderá continuar realizando e o que deve evitar fazer.

PLANEJAMENTO


Para qualquer objetivo que deseja atingir, é bem mais fácil quando há uma estruturação para sua conquista. Isso implica em criar estratégias, determinar passos, avaliar os instrumentos e gerar um prazo de realização. Com isso, você pode ter uma previsão de ocorrência. Poderá avaliar o que precisa, de quem precisa e como fazer a coisa toda andar; poderá retificar o caminho, incluir novas etapas, excluir o desnecessário, reavaliar prazos…enfim, terá um controle maior sobre a realização da sua vontade. Acima de tudo, verá que todo desejo tem chance de ser realizado desde que bem planejado.

PENSE NAS SUAS QUALIDADES


Pensar nas coisas boas que você tem tanto na sua personalidade, quanto na sua vida é parte essencial para melhorar sua autoestima. Focar em defeitos e esquecer o resto é caminho certo para uma baixa autoestima. Não é que deva esquecer que tem defeitos, mas lembrar TAMBÉM que tem qualidades. Refletir sobre defeitos tem seu lado bom enquanto proposta de melhora. Não adianta apenas se fixar e se conformar com eles. Você deve refletir estrategicamente sobre os defeitos. Use o que tem de bom para melhorar o que precisa ser mudado.

OTIMISMO


Sorria! Procure fazer de cada dificuldade uma oportunidade de mudança. Cada situação difícil encerra possibilidades de aprendizado. Seja criativo, foque no lado bom de tudo. Sofrimento é apenas os óculos que elegemos para olhar as situações. Seja dono do seu mundo. Não escolha as lentes escuras! Cada pequena situação oferece múltiplas maneiras de ser visualizada. Um copo meio vazio é também um copo meio cheio. Sendo otimista, você estará sempre disposta para o que vem pela frente.

EVITE O COITADISMO


Não pense que você é a vítima da vida. Pare de olhar a grama do vizinho e achar mais verde. Somos frutos daquilo que fazemos e escolhemos. Tem uma dose de sorte, uma dose da inevitabilidade e com essas devemos trabalhar com criatividade sabendo usar o que oferecem de bom e não lamentar o que têm de ruim. Ninguém aguenta ficar perto da pessoa que reclama o tempo todo, que pragueja, que faz lamúrias. Perceba seu estado. Seja dono do seu destino. Não caia no automatismo. Faça escolhas conscientes de sua postura diante da vida!

PARE DE TERCEIRIZAR


É importante sabermos avaliar o quanto de participação temos nos eventos de nossas vidas desde escolhas que fazemos ( e algumas não dão certo – faz parte!) até aquelas que induzimos, por nossas reações, a ocorrerem. Por exemplo, se você é excessivamente crítica com as confidências de alguma amiga, a chance dela começar a guardar segredos de você é muito grande. Se sua calça não entra mais no seu quadril, não é encolhimento arbitrário da calça, mas uma grande possibilidade de você estar comendo um pouco a mais. Toda causa, tem um efeito que vem ou a curto prazo, ou a longo prazo. No momento em que você escolhe enfrentar que faz parte de muitos processos de sua própria vida, verá que pode ter mais controle sobre suas ocorrências!

A Síndrome do Coadjuvante tem relação direta com a baixo autoestima, com a falta de crença em suas possibilidades e, acima de tudo, com uma excessiva e distorcida tendência em comparar-se com os outros sendo que, mais das vezes, estamos em contextos totalmente distintos.

Com pequenas atitudes, pode-se ter grandes efeitos.

Seja protagonista da sua estória!

Sucesso em sua empreitada!