Quando o sucesso sobe à cabeça!

Sucesso, fama, assédio…Que atire a primeira pedra quem não gosta, pelo menos, um pouco dos holofotes sobre si?!

Seja você, concurseiro que conquistou sua vaga, seja você estudante aspirante a uma vaga no serviço público ou mesmo os nossos amados profissionais professores e tutores dos cursos preparatórios, cuidado com a fama que pode subir à sua cabeça.

Não há problema em gostar ou se orgulhar de suas conquistas, mas é preciso precaver-se do excesso de orgulho que vem como uma vaidade que cega para uma posição sóbria dentro da realidade. Quais as consequências disso?

1) Perde-se a capacidade de tomar decisões com assertividade. A noção das próprias capacidades fica comprometida e distorcida pelo sentimento de grandeza.

2) Perde-se amigos adquiridos ao longo das conquistas, pois os vínculos ficam ofuscados pela ânsia do crescimento galopante.

3) Perde-se a possibilidade de auto avaliar-se, pois a autoimagem fica muito maior do que realmente é.

4) Perde-se a habilidade de saber ouvir qualquer palava que se poste contra a própria ganância de subir.

5) Perde-se o sentimento de gratidão com todos aqueles que participaram de um progresso anterior.

Como vocês podem perceber, é uma sucessão de possíveis perdas que podem, além de atravancar o progresso, destruir aquilo que já foi previamente construído: momentos de esforço, de investimento, de labor, de compreensão de pessoas próximas…tudo vai ladeira abaixo frente à fome cega de poder.

Como se pode evitar que tudo isso aconteça?

1) Tenha paciência. Saiba consolidar cada uma de suas conquistas antes de empreender à próxima. A paciência é a virtude dos sábios.

2) Ouça aqueles que foram seu referencial de progresso, aqueles que ajudaram, aqueles que estiveram ao seu lado.

3) Não vire as costas para sua origem. Sempre lembre de onde você veio.

4) Faça uma reflexão diária de seu aprendizado ao longo da sua trajetória e avalie seus próximos passos à luz do que já conquistou.

5) Sempre considere a relação custo-benefício de suas próximas ações ponderando o quanto pode ser prejudicado e o quanto pode gerar danos para pessoas próximas.

6) Não se deixe levar por elogios superficiais de quem não participou efetivamente dos seus esforços e da sua rotina de conquistas. Eles não sabem o que dizem.

Por isso e por outras, cuidado, amigo. Não perca os edifícios que já construiu querendo apressar-se nos próprios processos. Siga com calma e com sabedoria, mas siga sempre. Não se pode apenas concentrar esforços em crescer, mas saber crescer com sobriedade para que suas conquistas sejam edificadas em bases sólidas e dê frutos para o maior número de pessoas.

Quer saber mais? Assista a essa fantástica palestra de quem entende bem dessa questão:

Sucesso!