Motivação: de onde vem?

O que difere uma pessoa movida por curiosidade diante da vida, otimismo e desejo de transformar o mundo ao seu redor de uma pessoa que se arrasta pelas horas e sucumbe frente à menor dificuldade? Motivação!

Muitos conseguem acordar bem dispostos todos os dias e nunca pensaram em desejar que o tempo passe rápido até o fim do expediente em uma sexta-feira. Para outros, a maior parte das atividades rotineiras parece um martírio. Para esses, há um claro indício de que está faltando motivação na vida.

Problemas desse tipo são cada vez mais habituais, afinal vivemos numa época de dinamismo, da informação rápida, em que ser bom é ser ambicioso e ativo. As pessoas são empurradas a traçar objetivos sempre mais difíceis, o que torna cada vez mais escasso o tempo para desfrutar aquilo que chamamos de vida. Quando temos dificuldade em identificar o nosso propósito na vida ou, ainda, acreditamos que a ambição material e a fortuna são os segredos da felicidade, é muito provável que nunca estejamos satisfeitos e muitas vezes nos sentimos deprimidos, ansiosos e amedrontados.

Como equilibrar a demanda frenética da sociedade com nosso próprio compasso interno e nos sentirmos motivados para agir e seguir cada novo dia com garra e otimismo?

VIVA O PRESENTE

Estamos, na maior parte do tempo, pensando no passado (“eu deveria ter feito aquilo”) e no futuro (“amanhã farei isso”). Geralmente, só trazemos nossa mente para o presente quando algo muito bom está acontecendo. Encarar a vida com foco no passado e no futuro gera excesso de ansiedade e preocupação e nos deixa desmotivados. Para se libertar desse estresse, é preciso viver no presente; o passado pode nos trazer uma carga de culpa e arrependimento e o futuro pode gerar ansiedade e preocupação. Foque no AGORA.

FILTRE AS INFORMAÇÕES NEGATIVAS

Recebemos muitas informações o tempo todo, nem sempre de fontes apropriadas. Certas notícias nos deixam deprimidos e assustados, especialmente no noticiário, pois nos sentimos impotentes diante de situações negativas que não podemos mudar. Devemos moderar a exposição a fatos negativos, distante de nossos interesses e longe de nosso âmbito de ação. Igualmente, não devemos antecipar que os fatos serão sempre os piores. Seja otimista, sem deixar de ser realista.

PROCURE O AUTOCONHECIMENTO

É importante observamos nossas reações diante dos fatos. Nem sempre a autoimagem que temos condiz com a realidade. Apropriar-se de uma imagem consciente de nós mesmos irá ajudar a evitar situações que sabemos nos deixar abatidos e desequilibrados e, na hipótese de não as poder evitar, podemos nos preparar para lidar mais eficientemente com elas. Isso manterá nossa autoconfiança intacta e mais motivados para agir.

SAIBA APROVEITAR O QUE A VIDA OFERECE DE MELHOR

Saber filtrar o bom de cada situação, por pior que pareçam, nos habilita a sermos mais otimistas e menos vulneráveis ao sofrimento. O otimismo depende muito da forma que elegemos para olhar o mundo. Isso pode ser exercitado. O mundo é um vasto campo cheio de oportunidades. Pegue o melhor e descarte o que for destrutivo.

Cada momento da vida é uma oportunidade de aprendizagem. Pequenas posturas que adotamos como as mencionadas irão ditar se iremos crescer diante desses momentos ou se iremos diminuir. A motivação vem da certeza que cada segundo vale a pena ser vivido e da confiança que cada nova situação pode ser uma fonte de contentamento e crescimento.